Home / ART & UWHITE / À conversa com… Guto Rosa

À conversa com… Guto Rosa


posted in: ART & UWHITE | 0

Aos 32 anos, é um conhecido e reconhecido artista plástico brasileiro.

Formado em Cinema, é na pintura que encontra o seu lugar no mundo das artes. Diz gostar de “colorir o sujo e/ou sujar o colorido” e acima de tudo, procura divertir-se a fazer o que gosta.

Ele é Guto Rosa!

 

Guto Rosa | Sapatilhas Personalizadas por Artistas

Ubber White (UW): Quando e como começou o teu percurso na arte?

Guto Rosa (GR): A minha mãe é artista plástica (escultora e pintora) e ela ajudou a despertar minha curiosidade quando criança. Desde a adolescência que venho me envolvendo em projetos artísticos, nas áreas de música, cinema e artes plásticas.

 

UW: A tua obra é marcada pela originalidade, a atualidade, a diferença, é arrojada… Como descreverias ou caracterizarias a tua arte?

GR: Sou péssimo para me descrever a mim ou ao meu trabalho. O que posso dizer é que gosto de colorir o sujo e/ou sujar o colorido. Fica a critério de quem vê meu trabalho julgá-lo como quiser.

 

Guto Rosa | Sapatilhas Personalizadas por Artistas

 

UW: O que procuras transmitir? Cada trabalho teu tem uma mensagem?

GR: Não necessariamente. Alguns sim, outros não. Mas todo o artista procura transmitir a mesma coisa, independente da existência de uma mensagem. Não importa se a mensagem é uma denúncia contra a guerra ou o retrato da pessoa amada, o que procuramos transmitir é sempre o nosso conceito de beleza.

 

UW: Há algum trabalho especial?

GR: Tenho os meus preferidos, mas ainda não concluí aquele que julgo especial.

 

Guto Rosa | Sapatilhas Personalizadas por Artistas

 

UW: Há algum momento no teu percurso artístico que possas destacar?

GR: Acho que a primeira venda é sempre empolgante. A minha aconteceu durante uma temporada em Berlim, onde encontrei em uma lixeira 4 chapas de madeira. Resolvi levá-las para o meu apartamento e pintei 4 gueixas. Expus o trabalho no Mauerpark, junto com alguns outros trabalhos e vendi tudo em um dia. São esses momentos que nos impulsionam a continuar.

 

UW: Aprecias a variedade de técnicas e suportes. Porquê?

GR: Com certeza. O que mais me estimula são os desafios, e novas plataformas são ótimas para isso.

 

Guto Rosa | Sapatilhas Personalizadas por Artistas

 

UW: O que é que te inspira?

GR: Inspiração é uma incógnita, você nunca sabe quando virá. E não adianta forçar. Provavelmente, o que mais me inspira é a desigualdade social. Acho bizarra a miséria violenta que ainda produzimos nos dias de hoje.

 

UW: Que peso tem para ti o reconhecimento do teu trabalho?

GR: Estaria mentindo se dissesse que não pesa, afinal, precisamos comer. Mas não podemos deixar o desejo de sucesso se tornar um grande peso, a ponto de se tornar puro business. Precisa ser divertido, o estúdio não pode virar um escritório.

 

Guto Rosa | Sapatilhas Personalizadas por Artistas

 

UW: O segredo do sucesso é…?

GR: Não pensar no sucesso.

 

UW: Qual o teu principal objetivo como artista?

GR: Me divertir. Realmente não me importo se estou criando uma nova linguagem, não sei o que está na moda. Me importa fazer aquilo que me excita. Então meu objetivo é continuar pintando, descobrindo novos suportes, novas ferramentas e continuar colorindo muita sujeira e sujando muito colorido. :)

 

Guto Rosa | Sapatilhas Personalizadas por Artistas

 

UW: Que peso tem a arte no mundo atual, em especial no Brasil?

GR: Muito pouco peso, infelizmente. Já o entretenimento tem um enorme peso. É uma pena, já que a arte é uma eficaz ferramenta de mudança social. Existem iniciativas muito interessantes em favelas brasileiras, projetos que incentivam os jovens a navegarem pelas águas da música, da dança e do teatro. Iniciativas assim mudam as vidas de jovens mais carentes, e com certeza mudaria a vida de muitos burgueses que não sabem o que fazer da vida, já que as escolas tradicionais dão tão poucas opções. Arte deveria ser mais explorada nas escolas, assim como exploram a matemática, mas acredito que formar artistas não é muito vantajoso para as indústrias. Números parecem ser mais importantes.

 

UW: Conheces a Ubber White? Qual a tua opinião sobre a marca/projeto?

GR: Conheci através das redes sociais. É um projeto super inspirador. Vejo a Ubber como um ótimo exemplo de que é possível viver de arte.

 

Mais Artistas